07 Ago 2022
São Caetano de Thiene, Presbítero e fundador (+1547)
Imagem do santo do dia

Caetano nasce em Veneza, que pertencia então à República de Veneza, de pais nobres, O seu pai ostentava o título de Conde de Thiene. A sua mãe tinha outro título de maior glória e que sem dúvida influirá muito mais na alma e vida futura de Caetano: era da ordem terceira dominicana. Preocupar-se-á acima de tudo, com a educação sólida na piedade de seu filho a quem tantas vezes falará da vaidade das riquezas e honras do mundo.

A Divina Providência guia os seus passos pelas sendas de uma nova via. Um dia estava em seus belos jardins a meditar nas coisas do céu quando vê que uma alvíssima pomba dá voltas sobre a sua cabeça parecendo-lhe ouvir esta bela mensagem: «Caetano, a paz esteja contigo! Procura nunca a perder. E esforça-te por comunicá-la aos outros». Será esta uma das características mais importantes da sua vida. Será exigente para consigo mesmo, mortificado e intransigente, mas para com os outros será tolerante e meigo. Será sempre a paz, a suavidade, o trato delicado e distinto que chamará a atenção deste jovem jurisconsulto num primeiro tempo e logo depois clérigo.

Estudou leis em Pádua e em Veneza e exerceu durante algum tempo a advocacia, mas depois de uns anos passados entre questões e leis, verá que aquele caminho não é o seu e procurará tomar outro que o conduza com maior certeza à verdadeira vida.

É ordenado sacerdote e trabalha em cheio em toda a espécie de apostolados. A imitação de São Paulo, em primeiro lugar, retira-se para o deserto de Rampazzo e passa algum tempo entregue à oração e mortificação do corpo. Depois o bispo elege-o como familiar e assim Caetano começa a formar parte do clero romano, no qual influirá mais do que nenhum outro clérigo do seu tempo. São os florescentes anos do Renascimento que traz muitas coisas boas juntamente com outras que materializam a vida e afastam da verdadeira prática da fé e da entrega generosa ao Senhor.

O papa Júlio II em 1512 convoca o V Concilio de Latrão. Bem depressa se apercebe Caetano que antes de reformar a Igreja e as estruturas, o que mais importa é reformar-se a si mesmo. Por isso todos os dias antes de se abeirar do altar pensa: «Eu pó e verme atrevo-me a apresentar-me diante da Santíssima Trindade e tocar com minhas mãos no Criador do Universo». Caetano celebrava a Missa como um Serafim. Saberá apreciar a grandeza Weste sacramento quando disser ao companheiro de então, depois Papa, Paulo IV: «O sacrifício da Missa é a ocupação mais excelente. da terra, o trabalho mais urgente, preferível a qualquer outro, por ser a vida e a seiva de toda a obra».

Caetano entrega-se sobretudo à reforma do clero, já que tem consciência da grande influência que o sacerdote exerce na história da humanidade. Para tanto, funda, juntamente com o futuro Papa Paulo IV, a Ordem popularmente chamada dos Teatinos. O seu ideal será: imitar a vida dos Apóstolos, procurando juntar a vida contemplativa com a ativa mediante uma grande austeridade e ardor apostólico.

A Caetano vemo-lo crescer cada dia nos caminhos da perfeição. Notam-no todos quantos o rodeiam. Um dia diz: «Vejo Cristo pobre e eu tão rico. Cristo desprezado e eu honrado. Assim não pode ser. Desejo e quero parecer-me com Ele. Para isso vou dar mais um passo». E deu-o.

A sua missão já estava cumprida. Foi o melhor preparador do Concílio de Trento. Sem fazer ruído, delicadamente, partiu para a eternidade com ardentes desejos de «se unir ao Cordeiro Imaculado».

Era o dia 7 de Agosto de 1547.

Oração a São Caetano de Thiene

Ó São Caetano, que conhecestes a fraqueza da Igreja principalmente em seus membros mais responsáveis, e que trabalhastes pela reforma da vida e dos costumes dos cristãos, olhai com muito amor e compaixão para as nossas famílias e comunidades.
Lançai vossa mão poderosa a fim de que reine entre nós o espírito de fé, de amor e de justiça, segundo a vontade de Cristo.
Fazei que cada um de nós assuma suas obrigações, pois, Cristo espera de cada um de seus seguidores, a fidelidade, o serviço e a dedicação em favor dos irmãos. Amém.