JMJ de 2022 será em Lisboa

cq5dam.thumbnail.cropped.1000.563

O Presidente do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, Cardeal Kevin Farrell, anunciou a próxima cidade que irá receber a Jornada Mundial da Juventude ao final da missa conclusiva do evento do Panamá neste domingo (27/01), no Campo São João Paulo II. A cidade de Lisboa, em Portugal, vai sediar a JMJ de 2022.

A preparação para a próxima festa mundial dos jovens começa já nesta semana, segundo afirma o Pe. José Manuel Pereira de Almeida, teólogo e vice-reitor da Universidade Católica de Portugal: “será uma ocasião extraordinária ter os jovens do mundo inteiro e o Papa aqui. Começamos a trabalhar já nesta semana!”. Continuar lendo

Share Button

Homilia do Papa Francisco na Missa de encerramento da JMJ Panamá 2019

PapaFranciscoMisaJMJPanama-DavidRamos-ACIPrensa-27012019

Diante de uma multidão de jovens que chegaram ao Panamá vindos dos cinco continentes, o Papa Francisco preside a Missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2019, no Campo São João Paulo II.

A seguir, o texto completo da homilia pronunciada pelo Santo Padre:

«Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos n’Ele. Começou, então, a dizer-lhes: “Cumpriu-se hoje esta passagem da Escritura, que acabais de ouvir” » (Lc 4, 20-21).

O Evangelho apresenta-nos, assim, o início da missão pública de Jesus. Apresenta-O na sinagoga que O viu crescer, circundado por conhecidos e vizinhos e talvez até por algum dos seus «catequistas» de infância que Lhe ensinou a lei. Momento importante na vida do Mestre quando Ele – a criança que Se formara e crescera dentro daquela comunidade – Se levantou e tomou a palavra para anunciar e realizar o sonho de Deus. Uma palavra até então proclamada apenas como promessa do futuro, mas que, na boca de Jesus, só podia ser pronunciada no presente, tornando-se realidade: «Cumpriu-se hoje». Continuar lendo

Share Button

Homilia do Papa Francisco na liturgia penitencial com jovens reclusos no Panamá

PapaFrancisco-referencial-DanielIbanez-ACIPrensa-25012019

O Papa Francisco presidiu uma liturgia penitencial no Centro Correcional de Menores Las Garças de Pacora, localizado a cerca de 400 quilômetros da Cidade do Panamá.

O diretor interino da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, explicou em 18 de janeiro que “é a primeira vez em uma Jornada Mundial da Juventude que acontece uma liturgia penitencial em uma prisão”, e que “o Papa quis dar uma atenção especial para estes jovens que não podem sair para participar”.

A seguir, a homilia completa do Santo Padre:

«Este acolhe os pecadores e come com eles» (Lc 15, 2), acabamos de ouvir no início do trecho evangélico. Assim murmuravam alguns fariseus e escribas, muito escandalizados e incomodados com o comportamento de Jesus. Continuar lendo

Share Button

Discurso do Papa Francisco às autoridades e ao corpo diplomático do Panamá

FranciscoPanamaCuerpoDiplomatico

Depois de ter uma reunião com o presidente do Panamá, o Papa Francisco se encontrou com as autoridades civis, o corpo diplomático e diversos representantes da sociedade do país, diante dos quais pronunciou seu primeiro discurso na visita que realiza a este país centro-americano.

A seguir, o discurso completo do Santo Padre:

Senhor Presidente,

Distintas autoridades,

Senhoras e Senhores!

Agradeço-lhe, Senhor Presidente, as suas palavras de boas-vindas e o amável convite para visitar esta nação. Na sua pessoa, desejo saudar e agradecer a todo o povo panamense que, de Darién até Chiriqui e Bocas del Toro, fez um esforço incalculável para acolher tantos jovens vindos dos quatro cantos do mundo. Obrigado por nos terdes aberto as portas de casa.

Começo a minha peregrinação neste local histórico, para onde Simón Bolívar – afirmava que, «se o mundo tivesse de escolher a sua capital, para este augusto destino seria assinalado o istmo do Panamá» – convocou os líderes do seu tempo a fim de forjar o sonho da unificação da Pátria Grande. Uma convocação que nos ajuda a compreender que os nossos povos são capazes de criar, forjar e sobretudo sonhar uma pátria grande que saiba e possa acolher, respeitar e abraçar a riqueza multicultural de cada povo e cultura. Na esteira desta inspiração, podemos contemplar o Panamá como uma terra de convocação e de sonho. Continuar lendo

Share Button